Tendências para comunicadores em 2012

15 de janeiro de 2012 § Deixe um comentário

Final de ano é época de retrospectiva e relatórios de tendências. É o passado deixando lembranças e o futuro doido pra chegar cheio de novidades.

E se tem uma coisa que eu amo ler são esses benditos relatórios. Bem escritos, com imagens em boa qualidade, me inspiram a pensar o que eu posso fazer  para o próximo ano ter mais inovações, baseado em como as pessoas agem, consomem…

Você, assim como eu, deve ter lido muitas tendências.. JWT, FNazca, Trendhunter, Trendwatching e muitos outros nos deram algumas dicas de como proceder no próximo ano. Foi ótimo. Mas instigante mesmo foram as 100 tendências que o GOOD compartilhou com a gente para este ano de 2012.

Criado para divulgar o novo FIAT 500 com tendências para você “dirigir o futuro”, o relatório é todo feito no modelo “___ is the new ____” e conta com 5 categorias:  Sharing, Doing, Little, Personalization e Multi-tasking. E até as categorias possuem suas próprias tendências:

Sharing is the new Owning

Doing is the new Talking

Little is the new Big

Personalization is the new Curation

Multitasking is the new Single Focus

Como o carro não pode ser esquecido, em cada um dos pontos, ele aparece com dicas ou alguma frase engraçadinha. Não sei se foi a melhor solução para o carro aparecer, já que muitas vezes ele fica na frente do próximo passo. Talvez se o cursor fosse um Fiat500… enfim.

Clicando no balão amarelo, você pode ler detalhes e mais informações sobre as tendências.

Interessante é como em muito menos de 140 caracteres podemos inspirar, informar, entreter. Tudo quando temos criatividade aliada.

Aqui vão os pontos que eu achei mais interessantes. Clique na foto para ler a matéria completa sobre cada ponto destacado:

Deixo também algumas observações no ar sobre o processo de planejamento para este projeto: vamos pensar nas inúmeras conversas e acordos que o pessoal da GOOD teve que fazer com o marketing/RP da FIAT; as referências levantadas para se ter as ideias, as sugestões de layout, a FIAT empurrando o carro pra dentro deste relatório,  aprovações até chegar ao produto final.

Quantas etapas? Quantas reuniões? Quantos processos de comunicação? Quanto jogo de cintura? É difícil mensurar, só posso dizer que antes de sermos marketing, relações públicas, planejamento, mídia ou criação, devemos nos esforçar para ser comunicadores.

Anúncios

Em 2009, Pizza Hut. Em 2011, Dominos

28 de novembro de 2011 § Deixe um comentário

Com informações do Franchise Direct em pesquisa sobre franquias de pizza, permita-me apresentar, neste final de domingo, alguns números sobre pizzas consumidas nos Estados Unidos em 2010.

11,7% dos restaurantes norte-americanos são pizzarias. As pizzas representam 10% das vendas de comida no país. E o consumo é altíssimo. 350 pedaços de pizza por segundo. Trezentos e Cinquenta agora, e o dobro daqui um segundo! Por aí você pode ver como é importante estar dentro deste mercado oferecendo bons serviços e novidades ao consumidor.

Em 2009, me lembro como se fosse ontem, levei para uma aula da faculdade um vídeo que apresentava uma inovação surpreendente: um aplicativo que permitia você montar sua pizza pelo iPhone, fazer o pedido e ainda disponibilizava um jogo para aguardar a entrega.

Era Pizza Hut. Era divertido, diferente e transformou a maneira com que alguns norte-americanos pediam pizzas.

Para relembrar ou conhecer, assista o vídeo:

Corta. 2011. No dia 18 deste mês, a Dominos lançou o Pizza Hero para iPad. E o propósito é o mesmo: deixar mais elaborada a experiência (pobre e comum) de fazer um pedido de pizza. A Dominos correu atrás, evoluiu este conceito, preferiu lançar o aplicativo no device evoluído (iPad > iPhone) e ainda houve atualização na maneira de se comunicar com o público. Veja só:

Primeira evolução: iPhone – iPad. Com o lançamento de um dispositivo móvel com tela maior, não faria sentido limitar a experiência para a tela do iPhone, até porque não se faz nem meia ligação para lojas Dominos quando você quer fazer um pedido via app.

O aplicativo: a principal diferença entre Pizza Hut e Dominos é como o aplicativo de 2011 escancara o sentido do gamification. Prefiro não detalhar o conceito. Mas veja como no Pizza Hero pedir a pizza é um jogo contra o tempo e contra seus amigos. Fazer a pizza chegar na sua casa pode até ficar em segundo plano se você quiser apenas provar que faz pizzas virtuais mais rápido que seus amigos do Facebook e Twitter ( o que tem tudo a ver com a agilidade que a Dominos propõe em seus serviços).

No Pizza Hut o foco estava nas milhões de maneiras que tínhamos para montar pizzas e baldes de frangos. Não era legal fazer tudo rápido e sim gastar tempo prestando atenção em tudo que você escolhe pra sua comida e curtir tremer o iPhone para misturar o molho à pizza, ao macarrão ou ao frango. E o jogo, esse sim ficava em segundo plano.

A comunicação: Há 2 anos, o mundo ainda não conhecia a quarta geração de iPhones e mesmo com um volume enorme de aplicativos lançados na AppStore naquele ano, o pessoal da Pizza Hut decidiu fazer um be-a-bá para te explicar cada funcionalidade do aplicativo em um vídeo de 2 minutos e 33 segundos (só neste tempo, os americanos consomem 53.550 pedaços de pizza no país!!!) . O passo a passo funcionava quase como um manual de instruções.

E o Pizza Hero não precisou de nada disso. Deu o recado em 46 segundos, deixou todo mundo com vontade de baixar o aplicativo para saber mais de cada funcionalidade e com muito mais agilidade reparou que o público não precisa mais de manual para entender inovações via tablet.

Nós, o público: Em 2009, o aplicativo do Pizza Hut foi responsável pelo aumento de $1 milhão no faturamento da empresa, após 3 meses do lançamento. Enquanto isso, a Dominos, sem pressa, tinha apenas um mobsite com informações das lojas e cardápio. Moradores dos Estados Unidos amaram a inovação – o aplicativo é disponível apenas para os EUA – estavam dispostos a experimentar a novidade e comprovaram a aprovação nas compras.

Pense nos benefícios: pela primeira vez não era preciso falar com um atendente que poderia estar de mau humor ou errar o endereço porque entendeu errado ao telefone. Pelo aplicativo eu monto a pizza com os ingredientes que eu gosto (não preciso tirar a azeitona em casa, por exemplo), me divirto e voilà.

Passados 2 anos, a necessidade de compartilhar informação, felicidade, status e qualqueroutracoisa ficou mais urgente. Entreter na internet ficou mais difícil, os jogos chamam atenção – principalmente no iPad – e associar uma marca a uma experiência bem resolvida é um ponto positivo para empresas. E nós adoramos saber que pensaram no que nós gostamos para nos oferecer um benefício. Veio Dominos com compartilhamento, jogo, agilidade.

O que fica é a importância da evolução, da atualização de como se comportar perante ao público  (que continua consumindo pizzas em grande quantidade, mas evolui de comportamento influenciado pela quantidade de informação e tecnologia).

Quando vi Pizza Hero, pensei na hora: cópia de Pizza Hut! Mas não.. errei. É evolução. E isso é melhor do que qualquer cópia bem feita.

Boa pizza!

Benchmark – Sandália com gaveta

12 de abril de 2011 § Deixe um comentário

Queridos, gostaria de saber: quantas coisas vocês já pensaram que seriam super úteis na vida e que ainda não existem?

Vejam esse vídeo e fiquem :O como eu!

Não é das coisas márlindas desse mundo, mas tá visualizando a funcionalidade? A praticidade? A intelectualidade da coisa?

“Dá pra ir na 25 de maRRRço e tudo”

Genious!

Boa semana pra você aí que fica de mimimi com coisas que não existem! ( \o)
HAHAHAHA

Onde estou?

Você está navegando atualmente a Inovação categoria em Canto da Reitch.

%d blogueiros gostam disto: