Pensamentos de natureza sobre o hyperlapse

25 de setembro de 2014 § Deixe um comentário

Esse aplicativo Hyperlapse é uma coisa engraçada, né

Na verdade é bonito, é bem legal. A estética fica boa. O trânsito fluindo visto do alto andar de um prédio, o trajeto na marginal tietê livre (devia ser domingo), o cachorro correndo pra pegar e trazer um pedaço de tronco mil vezes. Foram alguns dos vídeos que assisti. É interessante. Fica bonito, sim.

Mas será que já contamos o tempo pelo hyper?

Não tem uma vez que eu assisto os vídeos e não pense: se estivesse em tempo normal, eu teria assistido até o final? Você teria? Eu já me peguei adiantando a barrinha do youtube alguns segundos muitas vezes durante o mesmo vídeo pra ver o que ia acontecer. E olha que era apenas um registro desses de cachorro. normal. Preciso fazer tanta coisa, não tenho tempo de ficar vendo videozinho bobinho, sabe? Que ilusão. Se clicou pra ver, já decidiu que tem tempo. Se estava lendo alguma coisa que dá brecha pra aparecer esse tipo de vídeo, tá assumindo que pode se distrair.

o que passou aqui? não deu tempo de ver....

o que passou aqui? não deu tempo de ver….

Me preocupa essa coisa de contar o tempo pelo hyper.

Já estamos tão ansiosos, depressivos, sem água, sem humor e que vontade é essa querer se adiantar ao tempo? Queremos que chegue logo. O fim do vídeo, a resolução dos problemas, a idade certa, o lugar ideal. A cabeça trabalha cada vez mais rápido. Aceleramos o pensamento com a sensação de que o tempo dura mais. Eu assisto assim, esses vídeos rápidos, e parece que eu nem parei de trabalhar. Bullshit que você diz pra você mesmo e pro mundo.

Contar o tempo pelo hyper é perder a noção do tempo da natureza. Fila, espera no whatsapp, conversa que leva tempo, cura da gripe. Nada se dá no tempo que você gostaria. Nada é páreo para tua mente que não pára (acento pra sempre! <3 ) e das duas uma: ou cria um monte de situações sobre o que pode estar acontecendo durante a espera (e na maioria das vezes é nada), ou você já não presta atenção em nada do que o outro diz, pois sua cabeça já está pensando em outra coisa. E tem gente que diz que isso é ser trendsetter, pensar a frente, ser inquieto. Nunca vou compactuar que isso pode ser bom. Somos natureza!

A estética da natureza fica boa mesmo nesse hyperlapse.
Mas por favor, só a estética.

Anúncios

I’m so stupid

13 de junho de 2012 § Deixe um comentário

“When you are putting a show together is like..  life during more time.

everyone has to pay attention

no one can fuck up

I wish I could live with this kind of mind set all the time

I love it

I love the energy

and I love the idea that we are creating something together. there is a unity.”

 

madonna.

30 dias para Buenos Aires

20 de maio de 2012 § Deixe um comentário

No dia 12 de abril de 2011 eu escrevi aqui sobre sonhos e ambições.

Deixei registrado meu atual sonho: Buenos Aires.

Pois bem (essa expressão sempre me lembra o meu avô), Buenos Aires era um sonho complicado na época. Eu era estagiária e já morava sozinha (eu moro em um apartamento com mais 3 amigas, o NossoApê) então não sobrava muito dinheiro para gastar em viagens. E outro fator que deixava os hermanos bem longe de mim é o meu medo de avião.

Eu tinha feito um parágrafo longo contando mais sobre ele (o medo). Depois diminuí e só ficaram algumas linhas. Então eu apaguei porque realmente não quero registrar essa fobia. Ela vai passar. 

O grande lance é que 2012 chegou e em quase 6 meses eu aprendi mais do que eu imaginava. Não sendo mais estagiária e tomando uma bela dose de coragem (impulsionada por amigos, sempre, e também por uma promoção de passagens aéreas), cá estou, de data marcada para conhecer meu atual sonho, os Bons Ares.

Vou tentar me hospedar via couchsurfing e no mais, todas as dicas são bem vindas. Ainda preciso montar um roteiro e saber melhor o que vale a pena ver. Quero passar em algumas agências de publicidade e escolas.  Ir ao Uruguai também está no roteiro. E tudo vai se encaixando.

Dia 20 de junho.

Até lá, vamos nos falando. :)

Para deixar registrado

30 de março de 2012 § Deixe um comentário

É um bonito vestido para o futuro.

Para Stella, com amor

5 de fevereiro de 2012 § 3 Comentários

Depois de visitar o Lists of Notes, blog  que disponibiliza listas escritas por grandes personalidades, fiquei mexida e resolvi escrever uma própria sequencia de anotações. Mas não para mim.

No Lists, o que mais me inspirou foi a seguinte história: em 1933, o autor F. Scott Fitzgerald escreveu para sua filha de 11 anos, Scottie, uma lista com Coisas Para Se Preocupar, Coisas Para Não Se Preocupar e Simplesmente Pensar.
Acesse diretamente este post clicando aqui.

Decidi fazer o mesmo para a filha de uma grande amiga, que hoje tem 3 anos. Stella está aprendendo a ler, a se posicionar diante da família e dos amigos da escola e acredito que esteja no início da percepção do mundo como um indivíduo particular.

A ideia é que ela leia esta carta aos 5 anos, aos 15, aos 20, aos 35 e assim por diante. Que ela reveja os significados de cada ponto nos diferentes da sua vida e que guarde com carinho.

Meu desejo é que além de carinho, ela tenha esta carta como um guia-não-familiar de conforto. Quando se sentir sozinha ou sem saber pra onde ir, que possa dar uma olhadinha nestas considerações feitas já com alguma experiência, conhecendo a família dela e toda sua história.

Talvez seja pedir demais, mas minhas expectativas são as melhores para este “projeto afetivo”.

A lista é aberta, dá margem para várias interpretações e algumas coisas eu copiei na cara dura do Fitzgerald.

O mais importante na realização deste projeto foi fazer tudo em apenas 1 dia. Com este prazo estipulado por mim mesma eu pude me concentrar nas ideias e ter certeza de que cada item seria bem pensado e pesado. E que depois de escritos não poderiam ser alterados.

Talvez com 30 anos eu escreva outra carta, contando ou listando mais coisas que eu aprendi.

Com 22 ficou assim:

 

Para Stella, com amor.

Coisas para se preocupar:

Independência
Coragem
Amigos
Boa alimentação
A intensidade da sua TPM
Carreira
Argumentos
Entender seus amigos
Mudanças

Não se preocupe com:

O que os outros pensam 
Homens
Voos
Prazeres
Expectativas
Mosquitos
Quem quiser passar por cima de você
Dores de crescimento
Bronzeado: haverá sempre um próximo verão
Bonecas
Tempo
Príncipes
Mudanças

Pense sobre:

Será que estou realmente empenhada em fazer o que eu quero? 

Eu sei o que eu quero?

Resultados só chegam depois dos esforços

Médicos são chatos, porém necessários

As pessoas mudam

Seu passado não reflete seu futuro.

Um beijo, 

Substitua franja

1 de fevereiro de 2012 § Deixe um comentário

Eu tenho um problema pessoal com franjas. Em mim.

Acho que cabe perfeitamente para qualquer tipo de pessoa, mas se tem uma coisa a qual eu não tenho vocação é a tal da franja.

Meu rosto não se adapta, as tentativas para deixá-la decente já beiram os 4 dígitos e eu preferi me conformar que meu rosto não pode abrigar este tipo de penteado. Vivo bem com isso.

Eu sou calorenta, prática e decidida a não deixar nada me incomodando em dias quentes ou dias de fúria. Mas com a franja, ela sempre me lembrará que eu devo cuidar de algo que foge do meu estilo de vida.

Recentemente eu decidi cortar o cabelo e sair do corte “repicado”. Sabe, seguir em frente com uma cara diferente, sem mudar muito. Expliquei que queria uma ponta na frente, um desfiado mais leve, nada de franjinhas. Meia hora depois, saio com um corte de cabelo que não combina comigo, mas sim com a franja que eu ganhei de presente.

Não por acaso, adotei um novo mantra – que utilizo fervorosamente toda vez que tenho que ligar o secador de cabelo em dias quentes de verão: É PASSAGEIRO.

(Posso substituir franja por incontáveis substantivos que se adaptam a este pensamento. Qual é a sua franja?)

Janeiro, 2012

9 de janeiro de 2012 § Deixe um comentário

A cabeça não pára, o corpo pede calma, o coração aflito por mudanças.

Já passou por isso?

Onde estou?

Você está navegando atualmente a Eu categoria em Canto da Reitch.

%d blogueiros gostam disto: